em busca de poesia


Casa nova!

ainda em arrumação!

Open house agendado...

beijos

www.embuscadepoesia.blogspot.com



Escrito por simone às 09h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Esgotei o espaço do blog. Acreditem!

Chorão



Escrito por simone às 13h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Os braços de D. Severina fechavam-lhe um parêntesis no meio do longo e fastidioso período da vida que levava, e essa oração intercalada trazia uma idéia original e profunda, inventada pelo céu unicamente para ele.

Uns braços – Machado de Assis



Escrito por simone às 09h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

um beijo pra minha mãe!

amo vc, linda!



Escrito por simone às 17h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Foto Paula Orsi Cruz (ela e sua lavanda florida!)

 

E pensar

você aparecer

pela janela tão bonita de manhã


Vem pra mim

e não vai mais


Me abraça,

me abraça,

me abraça,

por tudo que for


Lobão



Escrito por simone às 11h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

 

Foto Reuters

A poesia não é uma liberação de emoção, mas um libertar-se da emoção. A poesia não é uma expressão da personalidade, mas um libertar-se da personalidade. Mas só os que têm personalidade e emoções sabem o que significa querer se libertar destas coisas.


T.S. Eliot



Escrito por simone às 09h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Pensei seduzir você daquele instante em diante
Além de fazer crochê, pensei dar vôo rasante
Ir ao cinema, escrever, reinar nesse caos reinante
Impressionante, por que que eu não pensei nisso antes

(Por quoi je n´ai pense pas a çà avant?)

itamar assumpção


(é! eu adoro!)



Escrito por simone às 13h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Foto arquivo pessoal

 

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos…
E por amor
Serei… Serás…Seremos…


Pablo Neruda 



Escrito por simone às 12h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

 

Cansei de ouvir abobrinhas
vou consultar escarolas
prefiro escutar salsinhas
pedir consolo às papoulas
e às carambolas
pedir um help ao repolho
indagar umas espigas
aprender com pés de alho

ouvir dicas das urtigas
e dessas tulipas

um toque pro miosótis
um palpite do alpiste
uma luz da flor de lótus
pedir alento ao cipreste
e pra dama da noite
pedir conselho à serralha
sugestão pro almeirão
idéias para azaléias
opinião para o limão, pimentão
abobrinhas não!

Itamar Assumpção



Escrito por simone às 12h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Foto Pedro Casquilho

 

O médico sai correndo. Noutra altura ele teria reparado no luar. Naquela noite, o luar invadia as ruas vazias da Vila como a maré enche o mar. “É tempo da Lua”, diziam, como se o luar fosse um fruto da estação.

Mia Couto in Venenos de Deus, remédios do Diabo

 

Ei, corra e olhe o céu... !

 



Escrito por simone às 12h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ilustração Betania

 

Na Madalena revi teu nome
Na Boa Vista quis te encontrar
Rua do Sol, da Boa Hora
Rua da Aurora, vou caminhar

Rua das Ninfas, Matriz, Saudade
Da Soledade de quem passou
Rua Benfica, Boa Viagem
Na Piedade tanta dor

Pelas ruas que andei, procurei
Procurei, procurei te encontrar

Vicente Barreto

 

 

 


Foto Reuters

você está tão longe

que às vezes penso
que nem existo

nem fale em amor
que amor é isto

Paulo Leminski


Escrito por simone às 12h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

 

Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar as boninas que murcharam.
Os girassóis
amarelo!
resistem.
E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.
Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.

Manuel Bandeira



Escrito por simone às 09h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Foto Kakau dos Santos

Um dia, tempos, Tio Terêz o levara à beira da mata, ia tirar taquaras. A gente fazia um feixe e carregava. "-Miguilim, este feixinho está muito pesado para você?". "- Tio Terêz, está não. Se a gente puder ir devagarinho como precisa, e ninguém não gritar com a gente para ir depressa demais, então eu acho que nunca que é pesado".

João Guimarães Rosa in Manuelzão e Miguelim



Escrito por simone às 14h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Foto Constança Elvas

 

(...)o céu recolheu a chuva e acendeu as estrelas, não só as já conhecidas, mas ainda as que só serão descobertas daqui a muitos séculos. Foi grande fineza e não foi única. São Pedro, que tem as chaves do céu, abriu-nos as portas dele, fez-nos entrar.


Machado de Assis in Dom Casmurro



Escrito por simone às 12h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Foto Armando Guerreiro

 

Todo amor
Vale o quanto brilha
E o meu brilhava
E brilha de jóia e de fantasia

Antonio Cícero



Escrito por simone às 11h23
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  liberdade do ócio
  fotografias legais
  mais fotos legais....
  quadrinhos bacanas (Paulo Stocker)
  quadrinhos clássicos (Will Eisner)
  mais quadrinhos
  mario bortolotto
  site oficial Hilda Hilst
  site ee cummings
  projeto releituras
  jornal de poesia
  poesia de sete criaturas criativas